Por: Silvia Cardoso Pereira

Que a análise de dados se tornou algo valioso e estratégico para qualquer negócio, já não é novidade. A ideia de que “Data is the new oil”, defendida em artigo publicado em 2017 pelo The Economist, já é um jargão comum.

Empresas têm investido cada vez mais recursos para permitir que suas equipes possam tomar decisões verdadeiramente orientadas por dados. Ferramentas como o Qlik Sense auxiliam nessa missão, oferecendo uma plataforma que facilita a estruturação, o acesso e a análise dessas preciosas informações. Com ele é possível criar painéis que serão a interface entre os dados “brutos” e o usuário final, ou seja, quem vai consumir estas informações, em geral, analistas, gestores e executivos.

Por mais que a tecnologia tenha automatizado muitos processos e nos permitido processar um volume antes inimaginável de dados, ainda são os humanos que precisam compreender e relacionar essas informações para que elas tenham significado e valor. A apreensão dos dados, depende portanto de um processo de comunicação, em geral intermediado por uma interface visual.

E aqui temos um ponto crucial (e muitas vezes negligenciado) para o sucesso da implementação de uma cultura empresarial orientada por dados. Não basta disponibilizar dados confiáveis, é preciso ser estratégico também na forma como os apresentamos. Se quem precisa utilizar um painel analítico não consegue extrair dele as informações relevantes para ajudar no seu trabalho e tomada de decisão, um bocado de tempo, esforço e dinheiro pode ter sido jogado fora.

Na imagem acima vemos um exemplo de um dashboard que oferece uma série de dados sobre RH e Vendas. Se trata de um template, mas nos deparamos no nosso dia a dia com casos muito similares. Então vamos utilizá-lo para ilustrar nossa ideia.

Observe a imagem e tente imaginar. Se você fosse o responsável por acompanhar esses indicadores, como se sentiria se essa fosse a sua interface de análise? Seria fácil e rápido identificar pontos que precisam da sua atenção? Você conseguiria contextualizar e aprofundar as informações? Se você ficou confuso e cansado só de olhar, imagine ter que trabalhar diariamente com um dashboard similar! Aqui temos problemas básicos de design. Estes mesmos dados apresentados de outra forma poderiam ser comunicados de maneira muito mais clara, exigindo menos esforço cognitivo do usuário e facilitando uma leitura mais objetiva.

É por isso que tão importante quanto ter uma boa ferramenta analytics é investir no design do seu painel. E quanto antes isso for feito, melhor! Além de aumentar e muito as chances de um uso efetivo dos dados por seus usuários finais, uma boa etapa de design no início do projeto encurta e otimiza as demais etapas, reduzindo esforços e custos. Corrigir erros depois do desenvolvimento, por exemplo, pode ser até 4 vezes mais caro do que se isso for feito na fase de design, quando modificar e testar possibilidades é mais rápido e menos demandante. Além disso, um painel difícil de utilizar pode exigir treinamento interno das equipes e até mesmo resultar em desuso.

Abaixo mostramos um dashboard desenvolvido pela Cluster para o banco BMG. Como em todos os nossos trabalhos, o design foi a etapa inicial e o coração do projeto. Aqui tínhamos um painel que teria seu principal uso em dispositivos móveis. O conteúdo era bastante denso, mas com um trabalho de entendimento das necessidades dos usuários, arquitetura de informação e um design que equilibra a personalidade da marca com clareza na comunicação das informações, foi possível chegar a um resultado funcional e atrativo.

Ainda em dúvida se vale a pena investir no design do seu painel? Listamos mais 3 bons motivos para você fazer isso sem hesitar:

  1. Ajuda a definir os requisitos do projeto, garantindo que eles estejam claros, coerentes e que sejam compartilhados por todos os stakeholders;
  2. Reduz esforços na fase de extração e modelagem dos dados, pois uma vez definido na etapa de design o que será mostrado na interface, os profissionais responsáveis por disponibilizar os dados poderão focar somente no que importa;
  3. Resulta em um painel mais agradável visualmente, mais fácil de usar e com as visualizações mais adequadas para cada tipo de informação. A equipe de design tem expertise para recomendar se a melhor forma de mostrar um determinado dado é em forma de gráfico de linha, KPI ou tabela, por exemplo. 

Quer dar o primeiro passo para incorporar o design nos seus painéis Qlik Sense? Entre em contato conosco e vamos conversar.